Em resposta aos recentes ataques de mísseis pelo movimento rebelde Houthi, aliado do Irã, a gigante petrolífera British Petroleum (BP) anunciou a suspensão temporária de todos os trânsitos pelo Mar Vermelho. A decisão ocorre à medida que as condições de segurança para a navegação na região deterioraram significativamente, levando a BP a priorizar a segurança de seu pessoal e daqueles que trabalham em seu nome.

Thank you for reading this post, don't forget to subscribe!

“Dada a deterioração das condições de segurança para a navegação no Mar Vermelho, a BP decidiu interromper temporariamente todos os trânsitos na região”, declarou a empresa, de acordo com a Reuters. “A segurança de nossa equipe e daqueles que trabalham em nosso nome é a principal prioridade da BP.”

Na segunda-feira, uma autoridade marítima britânica relatou uma possível explosão próxima a um navio nas proximidades do Estreito de Bab al-Mandab, juntamente com outros dois incidentes na parte sul do Mar Vermelho. Os ataques dos houthis a navios tiveram um impacto significativo no comércio global.

Em resposta aos ataques em escalada e aos quase acidentes provocados pelos rebeldes houthis, apoiados pelo Irã, grandes empresas de navegação, como a Maersk, maior empresa de navegação do mundo, e a empresa alemã Hapag-Lloyd, suspenderam temporariamente todo o tráfego de navios porta-contêineres na região.

Os houthis têm atacado navios esporadicamente na região, com a frequência dos ataques aumentando desde o início do conflito entre Israel e o Hamas. Utilizando drones e mísseis antinavio, os rebeldes têm como alvo embarcações, chegando a usar um helicóptero para capturar um navio de propriedade israelense e sua tripulação, conforme relatado pela AP.

Embora os alvos principais pareçam ser navios ligados a Israel, navios porta-contêineres e petroleiros com bandeiras de países como Noruega e Libéria foram atacados ou atingidos por mísseis ao atravessar a hidrovia entre a África e a Península Arábica.

“Os numerosos ataques originários de territórios controlados pelos houthis no Iêmen ameaçam a navegação internacional e a segurança marítima, constituindo uma grave violação do direito internacional”, afirmou o escritório de política externa da União Europeia.

Aproximadamente 10% do comércio marítimo mundial passa pelo Mar Vermelho, aumentando as preocupações sobre o impacto da situação no fluxo de petróleo, grãos e bens de consumo.

Navios que buscam rotas alternativas para o Mar Vermelho terão que escolher caminhos mais longos, aumentando o custo do transporte e causando atrasos nas entregas de carga.

Aumento nos Custos de Seguro

O impacto imediato e significativo da escalada houthi foi o aumento nos custos de seguro. Há um grau adicional de instabilidade enfrentado pelos operadores comerciais no Mar Vermelho, que provavelmente resultará em taxas elevadas no curto e médio prazo, conforme afirmou Munro Anderson, chefe de operações da Vessel Protect, empresa que avalia riscos de guerra no mar e fornece seguro com apoio do Lloyd’s.

Os custos de seguro dobraram para os embarcadores que navegam pelo Mar Vermelho, podendo adicionar centenas de milhares de dólares a uma viagem para os navios mais caros, segundo David Osler, editor de seguros da Lloyd’s List Intelligence, que fornece análises para a indústria marítima global.

Para os armadores israelenses, os custos de seguro aumentaram ainda mais, em 250%, e algumas seguradoras se recusam a cobri-los, acrescentou ele.

FONTE: Por Doloresz Katanich com Reuters & AP

Euro News

Enable Notifications OK No thanks